Uma linda história de amor

12:20




Era uma vez, uma menina que nunca se apaixonou. Ela só queria pintar quadros. Seu nome era Rafaela.
Um dia, um amigo lhe fez um desafio. Ele há fez uma proposta de pintar o amor, já que ela nunca tinha amado. 
Até uma criança sabe pintar isso! Ela ficou com aquilo na cabeça. 
Será que seus quadros seriam iguais se ela estivesse apaixonada?
Respondendo ela ao garoto, pronunciou: Pois pintarei o amor, mesmo sem conhecê-lo.
O garoto começou a dar gargalhadas, e se foi. 
E nos dias seguintes se dedicou ao quadro mais desafiador da sua vida. Mas, na parte mais importante, acabou uma das cores. Justo o vermelho, a cor do ''amor". Pensou ela: Não posso inverte as cores colocando um preto ou cinza? Será que todos não reconheceriam minha inspiração só em visualizar minha inspiração em pintar algo romântico?
Então, ela saiu em busca do amor... ops,do vermelho. Mas encontrou a loja fechada. Só que o dono da loja estava por perto.
- Puxa, acabei de fechar! Era importante?
- Não... volto amanhã. Era só tinha vermelha.
- Deve ser um quadro importante. Olha o que tenho no bolso! Pode ficar com ela.
- Não sei nem como agradecer...
- Hum... aceitaria uma daquelas trufas que sua mãe faz...
Rafaela mal podia acreditar em tamanha sorte.Voltou correndo pra terminar o quadro! Mas, sua alegria era tanta, que não viu um carro que vinha pela rua,e foi atropelada.
Foi levada ao hospital. O médico residente, quando viu o sangramento, chamou a toda equipe médica. Algumas horas depois, ela acordava, ainda confusa,com seus pais ao seu lado.
- Eu estou viva?! Lembro do carro... da ambulância... e de apavorar o médico da emergência.
- Você está ótima, filha! Só precisa ficar em observação.
- O sagramento que você tinha quando chegou era a tinta vermelha que você havia comprado.
- O médico residente virou a piada do hospital.
Poucos dias depois, ela já estava de volta à pintura. Ou quase.
- Mãeeeee! vou até a loja comprar tinta!
- Acabou de ser atropelada!
- Esses jovens não sossegam! Pode ter um desmaio...
Como, mesmo depois de falar por alguns minutos, sua mãe não a convenceu a ficar em casa, resolveu acompanhá-la...
- Espere um pouco, mamãe! Vou buscar uma trufa para o senhor André,o dono da loja. Mas sua mãe lhe disse que não iriam mais, pois Rafaela tinha uma visita. 
- Visita? Mas eu já falei com todos os meus amigos...
No portão, um rapaz a esperava. Parecia nervoso. Ela foi simpática e saiu para ver o que ele queria.
- Oi...é... eu como vai? Eu...queria...é...
Ele mal conseguia falar, de tão nervoso. Pediu desculpas e foi embora. 
Ela entrou pensando: ''Que cara mais estranho. Cada idiota que aparece...'' Mas, antes de chegar à porta, ouviu um grito:

- Te trouxe tinta vermelha!
- O que você disse?!
- Bem...te trouxe tinha vermelha.
- Quem é você?!
- Meu nome é Paulo, sou médico-residente e atendi você no hospital.
Depois desse dia eles se encontraram cada vez mais, a cada encontro ganhava cor ao quadro de seu grande desafio.
Paulo a cada encontro dizia coisas incríveis a Rafaela, ele cansava de fazer poesia pra ela entender, que ela era sua, e seu destino era seguir ela.
Então eles se casaram. Foram felizes...
Até eu nascer e acabar com tudo!

Autoria de: Fábio Cavalcanti
OBS: Modifiquei e acrescentei algumas coisas ao texto do Fábio.
Editado por mim: Aline Cruz.

Vá embora não, tome mais uma dose

0 comentários